Em 2018, foram contabilizados 4.524 assassinatos de mulheres no Brasil, segundo o Monitor da Violência. De acordo com o estudo, 1.173 deles foram registrados como feminicídios. E ele poderia crescer consideravelmente se a classificação dos crimes não estivesse à critério do delegado.

Um gráfico mostra que das 4.254 mulheres assassinadas no Brasil em 2018, 1.173 foram mortas por serem mulheres. A autoria é de Rodrigo Cunha do G1.
O número de feminicídios registrados aumentou 12% no ano passado. Fonte: Rodrigo Cunha/G1

Dado que a maioria dos feminicídios são cometidos pelos parceiros (ou outros familiares das vítimas), são necessárias medidas ágeis para prevenir estes crimes. Pensando nisso, desenvolvedores brasileiros apostam pela criação de apps que funcionam como “botões de pânico” em caso de agressão. Os alertas são entregues via mensagem de texto aos contatos de confiança selecionados pela usuária ou às autoridades.

Salve Maria
O app Salve Maria foi desenvolvido pelo Estado do Piauí, e as denúncias anônimas feitas através dele são tratadas por uma equipe especializada.

Porém, não são apenas as agressões físicas as que entram na mira destes aplicativos. Alguns deles oferecem a opção de alertar sobre assédios sexuais e psicológicos. A ideia essencial é que as mulheres não apenas possam pedir ajuda com um simples toque, mas compartilhar pontos e horários arriscados em um mapa e até mesmo apoiar umas às outras em diversas questões.

No mês da mulher, o Uptodown não poderia ignorar estes dados horrendos. Por isso, resolvemos fazer uma seleção de aplicativos para que você possa se sentir mais segura e empoderada.

Confira, baixe e compartilhe com suas amigas:

SOS Mulher

SOS Mulher é um app de proteção pessoal feminina pelo qual mulheres em situação de risco poderão notificar seus contatos sobre um risco iminente.

Seu funcionamento é bastante simples. Em caso de violência, você poderá apertar o ‘botão SOS’ para alertar até 5 contatos de confiança, enviando uma mensagem de socorro com sua localização atual. Também é possível compartilhar relatos anônimos de sus vivências, para auxiliar outras mulheres em situações semelhantes.

SaiPraLá

SaiPraLá é um app que previne assédios a mulheres mediante notificações de ocorrências em um mapa O app foi desenvolvido por Catharina Doria, uma jovem brasileira de 17 anos, e tem como objetivo alertar mulheres sobre os riscos de locais e horários específicos.

Ao abri-lo, a usuária terá acesso imediato à sua localização atual, onde com um toque no botão ‘Fui Assediada!”, poderá notificar outras usuárias sobre a ocorrência. Para isto, será necessário responder um breve questionário, inserindo o endereço onde foi assediada, qual o tipo de assédio, o horário, etc.

Me Respeita!

Me Respeita! é um aplicativo que permite alertar outras mulheres sobre assédios sexuais ou psicológicos em poucos toques.

Através dele, você poderá registrar uma ocorrência completa, que logo poderá ser acessada pelas outras usuárias do app.

Ele ajuda a prevenir que se repitam situações traumáticas em determinados locais e horários, incrementando a segurança no dia a dia da mulher.

Salve Maria

Salve Maria é um serviço do Governo do Estado do Piauí que viabiliza do envio de denúncias da mulher de forma anônima.

As mensagens são enviadas através de um canal seguro e recebidas por um servidor público que dará seguimento ao caso.

Mete a Colher

Mete a Colher é uma rede colaborativa que auxilia mulheres vítimas de violência doméstica. O app conecta diretamente usuárias que precisam de ajuda com outras que podem oferecê-la voluntariamente.

A plataforma oferece 3 categorias de ajuda: Apoio Emocional, ideal para desabafar e romper um ciclo violento dentro de casa; Orientação Jurídica para tirar dúvidas sobre leis e denúncias; Inserção no Mercado de Trabalho, para auxiliar na procura de um emprego e independência financeira. Tudo funciona através de um bate-papo anônimo acessível apenas para as mulheres. As conversas são apagadas a cada 24h por motivo de segurança.

MUSA – Não a Violência Doméstica

MUSA funciona através de dois apps integrados. A usuária o instalará no seu dispositivo, e pedirá para que um policial ou contato de confiança instale o APP ANJO no seu. Quando estiver em situação de risco, apertará o BOTÃO ALERTA para enviar sua localização exata ao seu protetor.

PenhaS

PenhaS conta com um feed de notícias relacionado com os direitos da mulher, localização das delegacias da mulher mais próximas no mapa e chat com outras usuárias e alerta a contatos de confiança em caso de agressão. Se destaca por ajudar as mulheres não apenas a protegerem umas às outras, mas as conscientiza de seu poder e valor.

SOS – Lei Maria da Penha

SOS – Lei Maria da Penha é um app que alerta as autoridades e contatos de confiança da usuária em caso de agressão. No caso de correr risco de violência, a usuária simplesmente terá que pressionar o botão de emergência para acionar a Guarda Civil Metropolitana e seus contatos de emergência. Sua localização atual será enviada juntamente com seu pedido de socorro. Além disso, o app permite guardar o registro de provas contra o agressor, aumentando a agilidade do atendimento em caso de urgência.

Ainda que sejam uma boa alternativa às denúncias convencionais, não podemos deixar de mencionar que muitos dos apps testados durante a produção deste artigo apresentaram falhas graves ou foram descontinuados.

Sendo assim, ressaltamos que o Disque Denúncia 190 da Policia Militar continua sendo a forma mais imediata de conseguir ajuda. O serviço está disponível 24 horas durante o ano inteiro e em todo o território nacional.


Leia também: 4 aplicativos que toda a mulher deveria conhecer (em Inglês)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here