O Brasil é o segundo país que mais baixa aplicativos, na frente dos EUA e atrás da Índia, segundo The State of Mobile 2019. No entanto, é um dos que menos gastam em apps pagas ou compras in-app.

O brasileiro tem uma média de 33 apps no celular e passa 3h10min ao dia usado-as, segundo o mesmo estudo. No entanto, as apps pagas ficam em segundo plano. A causa disso, o país sequer aparece no top 10.

Ranking de países pelos gastos de consumidores. Fonte: AppAnnie

Ainda assim, a pesquisa revelou que o Brasil é o segundo país, atrás apenas do Japão, onde o mercado móvel cresce a um ritmo superior ao PIB (Produto Interno Bruto). O crescimento do gasto dos consumidores em tecnologias móveis (serviços e dispositivos) no país ascendeu aos 1,80 trilhões de dólaresdesde 2016. 

Países onde os gastos com tecnologias móveis superam crescimento do Produto Interno Bruto. Fonte: AppAnnie

As apps pagas apresentam números irrisórios de downloads, se comparadas ao total. Aquelas que oferecem planos de assinatura são as que recebem mais investimentos. Os jogos, pese a um crescimento de 60% desde 2016, não arrecadam mais que algumas centenas de milhões de dólares.

Os gastos com assinaturas são bastante fragmentados. São os serviços de streaming de vídeo e música (Netflix, Globo Play e Deezer) os que mais arrecadam. Logo, os serviços de encontros (Tinder e Happn), profissionais (Google Drive, LinkedIn e Whitebook) e de lazer (PlayKids e Sing! by Smule).

As apps que mais arrecadam receita entre os consumidores brasileiros. Fonte: AppAnnie

Não gastamos em apps, mas gastamos através delas

O Brasil é o 4º país que mais usa apps de compras, passando 38 bilhões de horas ao ano nelas. Isto é, 20% mais que em 2016. Neste sentido, Mercado Livre é a app líder no segmento, aparecendo em 8º lugar no ranking geral de downloads. Também no ranking de downloadsUber (5ª) e 99 Táxi (9ª), se destacam pelos gastos reais através de apps.

Porém, são as apps de telentrega as que mais se destacam em crescimento, situando o país na 6ª posição mundial. Desde 2016, houve um aumento de 45% na sessões destas apps, ou mais de 3 bilhões de sessões.

Total de sessões (em horas) em apps de comida e bebida entre 2016 e 2018. Fonte: AppAnnie

O informe The State of Mobile é um estudo realizado pelo centro especializado em investigações do mercado mobile AppAnnie.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here