Existem muitos métodos (e motivos) para rootear nosso dispositivo Android, embora nem todos estejam ao alcance do usuário médio como demonstram os longos tutoriais que podemos encontrar nos fóruns de XDA-Developers. Towelroot era um dos aplicativos preferidos para fazer root, já que seu funcionamento se limitava a tocar um botão e esperar uns segundos. O utilitário chinês Kingroot segue esta linha, nos oferecendo um processo simples e totalmente automatizado compatível com um grande número de dispositivos, com o estímulo de que após sua atualização para a versão 4.0 é possível até rootear o Android Lollipop.

Coisas a serem levadas em conta

O mais importante e que não nos cansamos de repetir: se for rootear seu dispositivo, tenha certeza do que consiste e quais vantagens (e desvantagens) pode ter. É muito bom isso de poder instalar roms personalizadas, acessar as atualizações do Android muito antes ou ter acesso a ferramentas que requeiram permissão de superuser, mas caso você tenha alguma dúvida, é melhor não prosseguir com o processo. Cada smartphone é um mundo, e os sistemas de recuperação diferem de um modelo para outro, sem falar da remota (mas existente) possibilidade de que o processo trave na metade e tenhamos que executar uma restauração de fábrica, então tenha uma cópia de segurança de suas informações.

Quanto à funcionalidade, a princípio é capaz de rootear quase qualquer versão de Android. Segundo o site ele consegue desde 2.X até 5.0. A respeito dos modelos suportados, é muito difícil fazer uma lista específica, já que dando uma olhada pela internet você encontra usuários com mesmo smartphone e resultados diferentes. Por sorte, a própria ferramenta se encarrega de nos informar da eficiência do processo antes de realizá-lo como veremos mais abaixo.

Como funciona Kingroot?

De entrada, Kingroot é um aplicativo que se aproveita de vulnerabilidades no Android para aplicar o root, então muitos antivírus podem considerá-lo como malware da mesma forma que como keygen ou patcher, com a diferença que rootear nosso dispositivo é completamente legal. Por isso, quando tentamos instalar o APK, o sistema nos avisará que se trata de um aplicativo perigoso, embora a efeitos práticos não seja. Instalar assim mesmo.

Uma vez instalado, veremos uma tela em chinês onde nos será oferecida uma informação valiosa de cara para proceder com o root. Estes são os dados.

  • (Abaixo à esquerda) Uma nota sobre três estrelas com a porcentagem de êxito estimado para realizar o root sobre nosso modelo de Android.
  • (Abaixo no centro) O tempo estimado que levará o processo em minutos e segundos.
  • (Abaixo à direita) O número de vezes que foram roteados com sucesso dispositivos com a versão de Android e o dispositivo que está rodando o aplicativo.
  • (Abaixo de tudo) Um botão azul que ao ser tocado começa o processo de root.

Na tela seguinte veremos uma porcentagem do progresso que indica o estado do root. Na parte inferior uma frase nos adverte que é normal que o dispositivo seja reiniciado.

kingroot-android-2

Após a instalação

O melhor método para comprovar se realizamos o processo corretamente é instalando o aplicativo Root Checker, que comprovará se nosso dispositivo já é root. Por outro lado, é mais que recomendável instalar uma ferramenta de administração de permissões como SuperSU que nos permitirá limitar o acesso que serviços e ferramentas externas pedem para funcionar, já que apesar de após a instalação já é instalado automaticamente o controle de permissões KingUser, será em chinês, literalmente. Tendo em conta de agora estaremos mais ‘desprotegidos’, é bom ter o aplicativo instalado para quando algum outro aplicativo tentar fazer algo estranho com as permissões.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here