Este ano, o protagonismo dos jogos para dispositivos móveis na E3 é muito maior do que em outros anos. Já demonstrou a EA na sexta apresentando em sua conferência uma nova entrega da saga Command & Conquer para dispositivos móveis, e agora vai na mesma linha a Bethesda anunciando uma nova entrega exclusiva para iOS e Android da saga The Elder Scrolls.

Uma grande epopeia adaptada para dispositivos táteis

O jogo foi apresentado pelo próprio Todd Howard, produtor executivo da Bethesda, na conferência ao vivo que a companhia realizou. O que nos foi apresentado é um jogo de RPG e ação em primeira pessoa com um aspecto gráfico surpreendente que poderia passar perfeitamente por um Skyrim, para dar uma comparação. Realizando gestos na tela poderemos mover a câmera, embora o movimento de um ponto a outro do cenário seja feito de forma automatizada. Em muitos aspectos lembra a saga Infinity Blade de ChAIR e Epic. Músculos gráficos bombados para oferecer experiências com mecânicas de qualidade.

A nível argumental, o jogo nos põe na pele de um dos Blades (os espadas), os espiões do império que trabalham nas sombras e servem de protetores do manda chuva vigente. Por um motivo não revelado, devemos nos exilar, mas ao regressar à nossa cidade natal a encontramos em escombros. Nossa tarefa será reconstruí-la das cinzas e acabar com quem tiver causado a tragédia.

O jogo poderá ser jogado utilizando tanto orientação horizontal como vertical, e o mais importante, mais adiante também chegará para PC (versão VR incluída) e consoles, podendo sincronizar nossos avanços nas diferentes versões.

Modos de jogo

Obviamente não se extrata da experiência completa do que um The Elder Scrolls é capaz de oferecer, embora os três modos de jogo disponíveis tentem simular uma progressão profunda baseada na superação progressiva de objetivos:

O modo abismo é o grosso do jogo, onde teremos que ir cumprindo missões que nos darão experiência e equipamento. Os mapas serão em parte gerados de forma aleatória, existindo tanto masmorras interiores como áreas exteriores. Apesar do movimento ser livre por completo, existirá certo componente de exploração ao poder interagir com os itens dispersos pelo cenário.

A arena oferecerá o componente PvP do conjunto, podendo nos medir contra os personagens de outros jogadores reais. Fica por ver se tais batalhas serão feitas em tempo real ou contra fantasmas controlados pela IA.

Por último, a cidade servirá de HUB que irá interconectar o resto dos modos, onde receberemos missões, compraremos objetos e iremos avançando pela trama do modo Abismos. Ainda, poderemos ir melhorando os diferentes comércios e edifícios do jogo para ampliar e melhorar sua oferta de serviços.

O jogo por enquanto não está disponível, mas seu pré registro já foi aberto através do Google Play.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here